Uma região escondida no cérebro humano foi descoberta

Uma região escondida no cérebro humano foi descoberta 1

Pesquisadores identificaram uma região escondida no cérebro humano perto da junção da medula espinhal. A descoberta do Núcleo Endorestiforme pode ajudar no avanço dos tratamentos para a doença de Parkinson, relatam os pesquisadores.

Fonte: Universidade de New South Wales.

Cartógrafo mundialmente renomado do cérebro, o professor da Cientia George Paxinos, conjuntamente com o professor da UNSW, descobriu uma região oculta do cérebro humano. A região é encontrada perto da junção cérebro-medula espinhal e o professor Paxinos nomeou de Núcleo Endorestiforme.

O professor Paxinos, da Neuroscience Research Australia (NeuRA), suspeitou da existência do Núcleo Endorestiforme há 30 anos, mas só agora conseguiu enxergá-lo devido a melhores técnicas de coloração e imagem. Comentando sobre esta descoberta, o professor Paxinos diz que pode ser comparado a encontrar uma nova estrela.

“A região é intrigante porque parece estar ausente no macaco rhesus e outros animais que estudamos. tem que haver algumas coisas que são únicas sobre o cérebro humano, além de seu tamanho maior, e o Núcleo Endorestiforme pode ser umA delAs.”

O Núcleo Endorestiforme está localizado dentro do pedúnculo cerebelar inferior, uma área que integra informações sensoriais e motoras para refinar nossa postura, equilíbrio e movimentos motores finos.

O Livro Mais Completo Sobre Neuromarketing

Mais de 300 referências, entre artigos científicos e livros, compilados em um guia completo sobre neuromarketing e comportamento de consumo.

“Eu só posso adivinhar quanto à sua função, mas dada a parte do cérebro onde foi encontrado, pode estar envolvido no controle motor fino.”

A descoberta da região pode ajudar os pesquisadores a explorar a cura de doenças, incluindo a doença de Parkinson e a doença dos neurônios motores.

Neurocientistas que pesquisam doenças neurológicas ou psiquiátricas usam os mapas do Professor Paxinos para orientar seu trabalho. Os atlas cerebrais do professor Paxinos são considerados os mais precisos para a identificação de estruturas cerebrais e também são usados em neurocirurgia.

Uma compreensão cada vez mais detalhada da arquitetura e conectividade do sistema nervoso tem sido central para a maioria das grandes descobertas em neurociência nos últimos 100 anos.

“O atlas do professor Paxinos mostrando morfologia detalhada e conexões do cérebro humano e medula espinhal, fornecem uma estrutura crítica para os pesquisadores testarem hipóteses da função sináptica para tratamentos de doenças do cérebro”, disse o professor Peter Schofield, CEO da NeuRA.

O professor Paxinos é o autor da publicação mais citada em neurociência e outros 52 livros de mapas altamente detalhados do cérebro. Os mapas mapeiam o curso das pesquisas em neurocirurgia e neurociência, possibilitando a exploração, a descoberta e o desenvolvimento de tratamentos para doenças e distúrbios do cérebro.


Traduzido do original. Por Neurosciencenews.com com fonte da University of New South Wales.

Como este conteúdo foi útil para você?

Clique em uma estrela para avaliá-lo

Avaliação média 5 / 5. Votos: 3

Sem votos ainda, seja o primeiro!

Já que você achou este conteúdo útil...

que tal seguir nas redes sociais?

Lamentamos por este conteúdo não ter sido útil para você...

Ajude a melhorar este conteúdo

Como podemos melhorar este conteúdo?